celsodyer
contando histórias
CapaCapa
TextosTextos
FotosFotos
Livro de VisitasLivro de Visitas
Textos

Feia, eu?
    Enquanto uns dizem que “Quem ama o feio é porque bonito lhe parece”, outros rebatem, dizendo que “Quem ama o feio é porque o bonito não aparece”...Meninas que se acham feias, não o são, na verdade...Feiúra é coisa séria, não é, apenas, algo que salta à vista, após um primeiro avistamento, dependendo de quem avista....Não, feiúra é bem mais do que uma não adequação a um padrão estético pessoal ou mesmo, pré estabelecido socialmente e imposto como se algo de verdadeiro fosse...De fato, feiúra é um estado d´alma, uma pré disposição para o lado mau e desapiedado da vida, algo que ultrapassa o ponto de vista estético superficial e adentra o campo psicológico, o campo da alma a suplantar a matéria...A palavra “feiúra” é já por si mesma, uma palavra feia e, se aplicada corretamente na pessoa certa, encaixa-se igual a uma luva nesta, acentuando o caráter tenebroso da feiúra: Algo que faz mal, algo que alimenta-se do mal...Dificilmente uma garota com a auto estima não muito em alta, que acha-se e sente-se feia, de fato o é mas, essas garotas, em sua óbvia carência, precisam ter, sempre, por perto, outras pessoas que negarão a pretensa feiúra de que as pobres garotas acham-se vítimas....Isso é normal, mais normal do que possa parecer e acontece ao nosso redor em qualquer momento.
    Pessoas que são, realmente, feias podem, até, aparentar beleza física mas, essa aparente beleza esvai-se com rapidez, quando a verdade impõe-se, trazendo à luz a verdadeira natureza de uma alma dominada pela feiúra e aí, damos-nos conta do quão, efetivamente, feias, são, tais criaturas...Com o tempo e o conhecimento, a feiúra sobrepõe-se a aparências e salta aos olhos, transformando qualquer pretenso “Anjo da Beleza” no verdadeiro “Monstro da Feiúra” que, de fato, é...E aí, então, a feiúra repele, afasta, faz mal, infecta e contamina...Isso é a feiúra e não, a opinião imatura de uma garota que ainda não começou, de fato, a viver e, nada sabe ou conhece, da vida...
celso dyer
Enviado por celso dyer em 16/12/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários