celsodyer
contando histórias
CapaCapa
TextosTextos
FotosFotos
Livro de VisitasLivro de Visitas
Textos

O PRISIONEIRO - décimo primeiro dia
   Acordou em sua cela, deitado em sua cama, como tantas outras vezes e, imediatamente, o viu...Cego de ódio, lançou-se em sua direção, com a intenção de matá-lo com as mãos nuas mas, não sem antes infringir-lhe o máximo de sofrimento possível...Mas, logo viu que sua intenção não passaria disso...Não conseguia mover parte nenhuma do corpo, estava totalmente paralisado, do pescoço para baixo, por artes de alguma droga muito poderosa...Tentou, então, falar e conseguiu, não sem bastante dificuldade, o som de sua voz limitado a um sussurro balbuciante.
    _ Seu...desgraçado...Você não é...nunca foi...um prisioneiro...
    _ É verdade, -respondeu seu interlocutor, sentado diante dele em uma cadeira de rodízios, “sua” cadeira...-...Mas não sou o carcereiro, como você, decerto, deve estar pensando...Sou bem mais que isso...Apenas o mestre de cerimônias do “reality show” mais “reality” e popular das últimas décadas, no ar há exatos vinte e dois anos...Vinte e dois anos de sucesso absoluto, mantendo uma audiência altíssima e atraindo patrocinadores de peso que, se pudessem, “brigariam de faca” para poder anunciar seus produtos em nosso programa.
    _ Do que...você...tá falando?
    _ Senhor “Homem de Pedra”, você é esperto...muito esperto, na verdade...mas, nós somos mais...Seja bem-vindo ao programa “O Prisioneiro”...o mais bem sucedido projeto televisivo de todos os tempos, no qual, você é a “celebridade do momento”...
    _Como...”celebridade”?
    Vou explicar...O assunto é meio longo mas, “tempo, é o que mais temos”, como você bem sabe...Esta “reunião” não irá para o ar, é só entre nós e eu poderia, facilmente, matá-lo, aqui e agora...com uma bala no coração ou uma faca na garganta...Vontade é o que não me falta...Seu desgraçado, eu conhecia os dois guardas que você matou, eram bons amigos, bons profissionais, pais e esposos exemplares...Você surpreendeu a todos, todos mesmo, com seu ato de fuga...Nunca, ninguém imaginou algo parecido,  conseguir transpor o “rio de fogo” como o chamamos...Você revelou-se além de todas as expectativas e isso...também...o alçou ao patamar de “celebridade”...e por isso não posso matá-lo...seria como matar a “galinha dos ovos de ouro”...O público o quer vivo, e atuante; votou em massa por sua permanência no programa, mesmo tendo-o visto matando agentes da lei...Disseram: “ele já está preso, mesmo”...em resumo: matá-lo, agora, seria um erro estratégico sem tamanho, uma facada em nossa audiência...Tivemos que calar as vozes das famílias dos guardas, revoltadas de verdade com o que você fez...com dinheiro...muito dinheiro...Dinheiro que precisamos recuperar...dinheiro que “você” vai nos fazer recuperar...Se decidir não cooperar, vai ter um destino pior do que a morte...igual aos “destroços humanos” que há nos andares superiores deste prédio.
     _ Não...entendo...
     _ Vai entender...Os governantes demoraram a dar-se conta disso mas, afinal, enxergaram o óbvio: não havia mais condições de manter-se uma população carcerária, sempre crescente, às custas do Estado...Finalmente, eles, os graúdos, somaram dois mais dois e decidiram ganhar dinheiro com a escória humana, o chorume da sociedade...vocês, criminosos, assassinos, assaltantes, estupradores...E veio a ideia do “reality show” “O Prisioneiro” nascida da cabeça de um gênio ou uma gênia do entretenimento televisivo cibernético...Um presídio “ultra high tech” sem grades, sem vigilância, sem qualquer restrição a nada, dotado de luxo e tecnologia, perdido no meio de um deserto artificial, totalmente à prova de fugas, localizado cento e cinquenta metros abaixo do solo em algum local do país...Um presídio de sonhos, onde uma população carcerária, renovada periodicamente, se digladiaria e se mataria, diariamente, em cadeia nacional...Gente que viveu para causar mal a outrem, seria reunida e posta para destruir-se entre si, como modernos gladiadores, imitando aqueles da Roma antiga...”Panis et Circensis”, esta era a regra que, ainda funciona e funcionará, até quando...ninguém sabe...Os participantes seriam escolhidos entre o que houvesse de pior no gênero humano ou coisa parecida...os piores facínoras, os assassinos mais brutais e frios...gente como você , senhor “Homem de Pedra” que nasceram com, sim, uma pedra no lugar do coração, gente a quem, apenas a desgraça alheia parece trazer felicidade...
    _ Bondade...sua...
    _ Gente de quadrilhas rivais seria reunida...Traidores e traídos, desafetos de longa data, inimigos de morte seriam postos juntos e incentivados a resolverem suas diferenças, ao vivo, sem cortes, -televisivos, bem entendido- em cores, alta definição e som digital, mandando essa balela de “direitos humanos” às favas, porque, gente da sua espécie não tem o direito de ser chamada de “humana”.
   _ Você...me envaidece.
   _ Isso...zombe bastante, senhor “Homem de Pedra”...Hoje você está por cima mas...sua hora vai chegar...Como chegou àquele gigante que eviscerou, como chegou ao homem que ele esmagou, como uma barata...como chegou ao “Canhoto”...
   _ Porque...vocês...o mataram...o “Canhoto”?
   _ O “Canhoto” era a “atração do momento”...Eu tive com ele, uma conversa como a nossa e ele aceitou sua nova função...e estava saindo-se bem, o público votava em sua permanência, a cada facínora que ele matava, por qualquer motivo, com o máximo de crueldade possível...o público vibrava com suas atuações, a cada vez que ele livrava o mundo de alguma “podridão viva”, mesmo sendo ele, uma...e aí, você apareceu, não por acaso...Foi relativamente fácil, montarmos a farsa do “serviço na mega cidade”, atraindo-o, fazendo com que saísse de sua “toca” e entrasse “na boca do leão” de livre e espontânea vontade...senhor “Homem de Pedra”...o senhor não é assim tão esperto quanto se imagina...
   _ Talvez...senhor “velho-perneta...mestre-de-cerimônias”...
   _ Você chegou e o “Canhoto”, logo, sentiu-se ameaçado em sua liderança no jogo, afinal, o conhecia...e o admirava...
  _ Eu...o admirava...também...
  _ Mesmo?...Isso é uma novidade...alguém com um ego como o seu, admirar alguém...
  _ Pra...você...ver...
  _ Pois é...O “Canhoto” o admirava e, por isso, tramou matá-lo, no banheiro...
  _ Garoto...esperto...ele...
  _ Ele ia entregar-lhe o tal bilhete no exato momento em que aconteceu aquela agressão, aparentemente, sem motivo, àquele “gordinho guloso”, lembra?
  _ Claro...
  _ Aquele homem ia ser a “próxima vítima”...Você, por acaso, o conhecia? Soube o que ele fez?
  _ Nunca o vi...escolhi...ao acaso...
  _ Pois aquele gordinho de ar inofensivo, recentemente, matou a tiros, um “rockstar” muito famoso e querido, por sua arte e pelas polêmicas que causava, a todo momento...O público o odiava de morte, digo, o assassino, e queria vê-lo pagar pelo que fizera...e o “Canhoto decidiu-se por exterminá-lo, sem nenhum motivo mais forte, a não ser o de reforçar sua imagem de “celebridade do mal”...Foi, então, uma estranha coincidência, seu ataque àquele assassino louco...Bem, o “Canhoto” o impediu e o atraiu ao banheiro...Seu companheiro de crimes, que o chamava, pseudo-respeitosamente de “chefe”, ia matá-lo, com várias facadas no coração, em uma cabine de privada.
   _ Porque...lá?
   _ Na conversa que tive com ele, ao revelar-lhe a história do programa, expliquei o que explico agora...mas não disse tudo, como farei agora...O “Canhoto” era “ a bola da vez” em  popularidade para o público, mas, não satisfazia à direção do programa...Era muito feio, tinha uma cara de “furão” ou rato, uma cara muito, digamos, “de bandido”...Optamos, então, por sua inserção no jogo, senhor “Homem de Pedra”, após sua captura e, durante uma outra conversa com nosso finado amigo, eu o aconselhei a liquidá-lo, permanecendo na liderança do programa, dizendo onde cometer o ato e como...Disse-lhe que o banheiro era o único local não coberto pelas câmeras, não por uma questão de privacidade mas, porque, as sucessivas lavagens no local danificariam equipamentos eletrônicos presentes, por mais que protegidos fossem, o que era mentira...e ele caiu na conversa como um pato...Sua morte foi, afinal, registrada mas não será exibida,  nunca...Inventamos, para dar satisfações aos telespectadores, uma pane no sistema de lavagem do banheiro, que resultou no não funcionamento do aviso sonoro e na antecipação do momento da limpeza, o que causou a morte do “Canhoto” e o público engoliu nossa lorota, sem problemas, passando a concentrar sua atenção em você, aqui entre nós. com uma aparência bem melhor do que a do finado.
    _ Obrigado...
    _ De nada...aliás, tenho um curiosidade neste caso todo...Porque “canhoto” se nosso
“camarada cozido” era destro?
    _ Canhoto...capeta...cramulhão...seu idiota...
    _ Ah, então era isso...bem apropriado o apelido...Você, senhor “Homem de Pedra”, caso entre em nosso esquema, deverá terminar seu “affair” iniciado com o gordinho homicida, o modo, fica totalmente a seu critério...Sua inserção no jogo foi uma manobra mais do que acertada, até o momento, esta conversa entre nós ia acontecer em breve mas...decidimos adiá-la, um pouco, haja vista as “novidades” que você trouxe ao programa, elevando sua audiência em muitos e preciosos pontos, mantendo “O Prisioneiro” líder absoluto no horário...e fora dele, nos canais privados, onde a pouca censura dos canais abertos é, sumariamente, eliminada...Você, deu três “picos” de audiência, difíceis de serem igualados, que dirá, ultrapassados...Foi o único, até agora, a tramar e executar duas fugas espetaculares, falhando na primeira mas, tendo parcial sucesso, na segunda...às custas de duas mortes de policiais, o que, “a priori” significaria sua imediata transferência para a “zona fantasma”, onde as câmeras quase vão mas, os prisioneiros, quando desejarem
    _ Sei do que fala...já estive lá...
    _ Esteve mesmo...daqui a pouco falaremos nisso...Mas o público exigiu, veementemente, sua permanência e tivemos de fazer essa “quebra de regras”, em nome do dinheiro, tomara seja a primeira e última...Suas tentativas de fuga e o acerto de contas com o “Gigante Louco” – esse era o “nome de guerra” daquele monstro que você retalhou no programa, como você é o “Homem de Pedra”-...renderam os três maiores picos de audiência da história do programa, em todos os tempos; a briga com o gigante, então, tornou um pessoal bem rico, nas bolsas de apostas que iam sendo formadas, enquanto fazíamos as chamadas na tela e a equipe técnica atiçava os capangas do monstro...e o próprio monstro, contra você...Quase todo mundo apostou no grandão, eu, inclusive e perdi um bom dinheiro...Eu queria que o gigante vencesse...que o matasse...mas, isso não aconteceu, coisas da vida.
    _ Você...nunca gostou de mim...
    _ Desde antes de sua vinda.
    _ Eu já simpatizei...com você
    _ Mesmo?
    _ Mas isso passou.
    _ Antes assim...
    _ Que “equipe técnica”...é essa de que falou?
    _ É o pessoal que trabalha no programa, fingindo-se de presos e misturado ao pessoal “da pesada”...Ganha bem aquele pessoal, no qual, me incluo...Temos um adicional de periculosidade que nos ultrapassa os salários...afinal, corremos um sério risco de vida...Aquele soco que você me deu, rendeu um bom acréscimo e te agradeço por isso.
   _ De nada...
   _ Nosso pessoal é aquele que põe e tira as mesas, limpa o local, fingindo ser um bando de “boçais lobotomizados” ou coisa parecida, frequentemente sendo vítima do escárnio geral mas, com um bom suporte técnico contra atos de violência...Geralmente, ninguém repara neles... Pensou que, apenas prisioneiros circulam por aqui?...Não é bem assim...De dois em dois dias, chega um prisioneiro novo e, acredite ou não, tem gente querendo vir pra cá, entre as populações carcerárias, querendo uma “boa vida”, durante o tempo que conseguirem...Mas nossas escolhas não limitam-se a esse pessoal, nossos critérios para admissão costumam ser bem rígidos.
   _ E as facções locais? A formação...de novas quadrilhas?
   _ Se são iniciadas, não duram muito tempo...Quando um grupo começa a formar-se e
adquirir projeção, temos as tais “rebeliões” para controlar tudo...Eu não menti quando disse serem verdadeiros “shows de horrores”, a coisa pesa de verdade...e um monte de gente paga...muito...pra ver corpos atingidos por tiros de escopeta elétrica e outras “bossas”...morre gente mas, não muita, bem que podia ser bem mais...A orientação dos guardas é para “mutilar e não matar”...mas as mortes ocorrem, sim...
   _ E os aleijados vão para a “zona fantasma”...
   _ Não só os aleijados...Um pessoal “barra pesadíssima” vai pra lá, tanto por manutenção da paz local quanto por escolha dos telespectadores...O “Gigante Louco”, por exemplo...se o tivesse matado – e eu torci por isso-...acabaria indo para lá, desde antes de sua vinda isso foi decidido.
   _ Trouxeram-no...por minha causa?
   _ Eu me empenhei nisso, pessoalmente.
   _ Odeia-me...tanto assim?
   _ Um pouco mais que isso.
   _ O que eu te fiz?...Nunca te vi, antes.
   _ Você nasceu, isso me basta.
   _ Entendo...Pois então...assista meu sucesso...perneta...
   _ Com bastante revolta...enfim, é a vida...
   _ Quem mais...vai para a “zona”, a pedido do público?
   _ Quando esteve por lá você, certamente reparou em um rapaz...adolescente ainda...físico de atleta, louro.
   _...E chorão...vi sim, o que ele fez?
   _ Aquele é o “Chapinha”.
   _ “Chapinha”...ouvi falar do caso mas, não sabia como era sua cara.
   _ Pois é ele...Aquele garoto e sua quadrilha sequestraram um casal, torturaram e mataram o rapaz e...bem “divertiram-se” com a moça, fizeram dela “gato e sapato”, quando descartaram-se de seu corpo, cerca de um mês mais tarde, aquilo já não era nem mais as sobras de um ser humano.
  _ Sei como foi...e ele veio pra cá.
  _ Veio...e o público, ao ser perguntado qual seria seu destino, se ficaria entre os presos ou iria para a “zona fantasma”, a segunda opção ganhou, disparada.
  _ Ele foi mutilado de propósito.
  _ Sim...Ainda está sendo...e o público interessado, paga alto nos canais a cabo, pra ver...bem alto...As operações, os pós operatórios, tudo...Enquanto é esquartejado em vida, o desgraçado assiste na tevê, a toda a história de sua, digamos, “aventura”, vezes sem conta...pode até fechar os olhos mas, não pode fechar os ouvidos...
_ É um adolescente...
_ É isso te dói?...atinge o “Homem de Pedra”?
_ Sinceramente, não...mas faz pensar que vocês, ditos “civilizados”, não diferem muito de nós, “animais”.
_ Questão de ponto de vista...Você o viu chorar...Como choraram mães, pais, irmãos, tios...Se Deus o permitir, ele enlouquecerá antes de morrer e ninguém vai lamentar isso.
_ O que houve com seus...comparsas?
_ Morreram...faz tempo...
_ Quem vai para a “zona fantasma”...um dia, ganhará próteses?
_ Você tá brincando...
_ O que é feito com os membros cortados?
_ Vão para a reciclagem, virar comida de cães e gatos...os bichinhos adoram.
_ Pensaram em tudo.
_ Na medida do possível.
_ Foi, mesmo, em uma “rebelião”...que você perdeu a perna, “aleijadinho”?
_ Não...isso foi o resultado de um acidente numa corrida de lanchas...Me tirou dos esportes mas me introduziu no “show biz”...Alguém achou que eu tinha o “physique du role” para a função e, aqui estou...
  _ A história da fuga...no tal “barco voador”, aconteceu...mesmo?
  _ Nem em sonhos...Inventaram tudo, vendo você na tevê tentando fugir.
  _ Imaginei...foi ouvindo suas mentiradas...que descobri o patife do farsante mentiroso que você é...Achei mesmo que fosse o carcereiro...porque, ainda por cima, atua pessimamente.
  _ São seus olhos...
  Durante a noite...enquanto todos dormem...você comenta sobre o que aconteceu...durante o dia.
   _ Exatamente, você é muito perspicaz...se não fosse o monstro que é, teria imenso sucesso profissional em muitas áreas.
   _ Bondade sua...”aleijadinho”...

  O efeito da droga paralisante já havia passado mas, o “Homem de Pedra”  não sentia mais vontade de agredir seu interlocutor...Antes, sentia curiosidade sobre aquela história toda e perguntava-se como seria sua vida, dali para diante.

  _ As câmeras que registram tudo...Não há lugar onde não possam ir.
  _ Não há mesmo.
  _ As borboletas...
  _ Pequenas maravilhas tecnológicas...microrrobôs equipados com câmeras de altíssima definição e gravadores digitais de som, além dos lançadores de anestésicos, este, o próprio “state of art”...Cápsulas rígidas de drogas cristalizadas, acrescidas de anestésicos que, uma vez em contato com o tecido subcutâneo, dissolvem-se, pondo o cidadão...melhor dizendo, o facínora, para dormir...As doses variam muito de quantidade para fazer efeito, dependendo da resistência do organismo atingido...Você, “Homem de Pedra” precisa de, pelo menos, cem disparos...nem os sente, não?
   _ Não mesmo...Continuarei a ser “bombardeado” se me unir a vocês nessa comédia de terror?
   _ Vai depender, muito, de seu novo modo de agir.
   _ Entendo...
   _ Alguma outra pergunta, antes de dar sua resposta a nosso convite de unir-se a nós?
   _ Sim, uma...o que acontecerá, de fato, a mim, se não aceitar participar desse circo?
    _ Das duas, uma...Ou você “acidentalmente” morrerá em uma “rebelião”, o que será ótimo para mim...ou irá para a “zona”, o que será, ainda melhor...
    _ Então, morra de ódio, “velho-perneta-mentiroso-e-péssimo-ator”...Vocês têm “seu homem”...
celso dyer
Enviado por celso dyer em 06/02/2018
Alterado em 06/02/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários