celsodyer
contando histórias
CapaCapa
TextosTextos
FotosFotos
Livro de VisitasLivro de Visitas
Textos

O PRISIONEIRO - um dia, no futuro
  
      Vinte e cinco anos no ar, líder absoluto de audiência...e o “reality show” “O Prisioneiro” não dava mostras de arrefecer...Multidões de telespectadores acompanhavam o programa e anunciantes tornavam a emissora que o exibia, ultra milionária, “anos luz” à frete da concorrência que se digladiava para ser o “segundo lugar” e, nada mais do que isso...Durante três anos consecutivos, desde que ali chegara,
O “Homem de Pedra” era o maior ídolo nacional e parecia que jamais perderia seu posto, milhões de telespectadores clamava por sua permanência no show e o chamava de “o grande justiceiro” mesmo tendo conhecimento de sua vida de crimes, que era exposta periodicamente, em cores, alta definição e som digital...Criminosos capturados, de todas as categorias, desejavam um embate com o “Homem de Pedra”, sonhando com uma vitória e uma vida de glórias, ainda que, curta, atrás das grades, mesmo elas não existindo...Multidões de fãs tentavam contato com a sensação máxima de “O Prisioneiro”, mandando cartas e presentes para a emissora, na intenção de que o “Homem de Pedra” recebesse, ao menos, parte daquilo...e ele recebia...
    Periodicamente, após o termino do programa do dia, após a meia noite, reuniões aconteciam entre os diretores e produtores do show, assim como anunciantes e relatórios eram feitos e planos e estratégias, elocubrados para futuros programas. O “Homem de Pedra”, geralmente, comparecia a essas reuniões e opinava bastante nelas...Homem assumidamente ambicioso e vaidoso, creditava seu sucesso, apenas, a sua potencialidade voltada para o mal e considerava-se, por vezes,  um “ser imortal”...Mas, tamanha luta pela manutenção do poder, tinha seu preço...e ele não era baixo...
    A verdade era que aquele homem estava-se desgastando, fisicamente, de forma exponencial...A cada combate encetado contra um inimigo, a cada luta ferrenha, mesmo havendo toda uma produção a cobri-lo – enquanto ele interessasse à emissora- ele ia ficando cada vez mais vulnerável e sujeito a uma derrota, quiçá sua própria morte...Ele esforçava-se, praticava exercícios e era submetido a tratamentos de longevidade, fora do ar mas, a coisa estava-se tornando cada vez mais difícil, enquanto o grande público o
Tratava como herói, como alguém imortal, que jamais seria derrotado...
    Os níveis de criminalidade não cresceram nem diminuíram desde o início do “reality show” mas, as forças da lei recebiam um reforço financeiro substancial, vinda da emissora que cedia uma parte dos lucros conseguidos com o programa ao combate ao crime, mantendo um certo equilíbrio entre bem e mal, com a modernização constante dos meios de repressão e combate ao crime, suavizando a pressão nas costas do Estado...
   Ele era um “ídolo do mal”, um “criminoso justiceiro” e o público o adorava...Torcia por ele, a cada “acerto de contas” que tinha com bastante regularidade e seus colegas de carceragem o respeitavam mas, não odiavam, como acontecera com o “Gigante louco”, antes, temiam-no, sabendo que, a qualquer momento poderia chegar “sua vez”...Havia, naturalmente, outros “justiceiros” que faziam igual trabalho mas o “homem de pedra” era o melhor de todos, o mais eficaz, o mais carismático e adorado de todos.
   O “gordinho assassino de rockstars” teve seu fim em uma manhã quando o “Homem de pedra” repetiu sua encenação de anos antes, apenas, levando-a até o final, deixando no chão branco de cerâmica, numa certa manhã, o corpo espalhando todo seu sangue através do horrendo ferimento no pescoço.
  Durante alguns “acertos de contas”, por muito pouco, aquele homem não encontrou seu fim, nas mãos de homens mais jovens e aspirantes da posição de  “ídolo da vez” mas os telespectadores não arredavam pé de sua opinião e os pretendentes à vaga eram sumariamente postos "fora do ar” nos andares superiores, tudo em nome da audiência...Algumas vezes as equipes de apoio tiveram muita dificuldade em contornar uma situação, intervindo no que seria uma execução iminente, provocando tumultos e separando os contendores e, um “homem de pedra” realmente ferido era tratado de modo que pudesse retornar à sua função em tempo recorde...e isso começava a minar a resistência daquele homem que, de pedra, não tinha nada mesmo, fisicamente falando.
    Diversas vezes ele tentou associar a imagem do mestre de cerimonias do programa a alguém a quem tivesse prejudicado, tempos atrás...alguém ligado a esportes náuticos...mas não conseguia, aquele velho barbudo e perneta era, para si, um completo mistério...”mas que diabo” –ele pensava então- ...eu não tenho que ter a folha corrida de cada desafeto que enfrentei” e encerrava a questão, momentaneamente...
   Se algum dia, encontrasse, realmente, seu final, em um “combate de homem pra homem”, isso não o incomodaria...seria um fim digno, ao menos, digno de sua própria “vida e obra”, terminaria de existir como vivera, voltado para o mal, praticando o mal em todas suas formas, jamais deixando-se abater...Um “Homem de pedra” na acepção da palavra...na verdade, apenas um homem mau que teria o fim que merecera, durante toda sua vida...
   Apenas uma coisa, ele temia...ser abandonado por seu público, em detrimento de alguém mais jovem e com mais carisma e energia, alguém capaz de fazê-lo abdicar do trono ao qual fora alçado por única e exclusivamente, mérito próprio....Quando tinha esses pensamentos, algo raríssimo de acontecer, imaginava-se velho, acabado, sem mais os tratamentos que prolongavam-lhe a vida, encerrado em uma cama, sendo lentamente desmembrado enquanto ouvia e via na tevê, a história de sua vida de crimes,
Vendo diante de si aquele que seria seu pior inimigo, o velho perneta, este, a regozijar-se com sua decadência e inexorável fim, sentindo ressoar em seu pensamento, as palavras que aquele homem havia-lhe dito, anos antes, quando adentrara aquele “inferno branco” para dali sair, apenas, morto.
     _ “Você vai saber o que é desejar morrer a cada minuto do dia, sendo mantido vivo contra sua vontade. Vai saber o que é medo, desespero, revolta, dor...Vai saber o que é o terror alucinante e vai saber o que é ser, totalmente, incapaz de evitar o que quer que vá acontecer-lhe”...
  
celso dyer
Enviado por celso dyer em 06/02/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários